Núcleo de Pesquisas Teatrais Encontros Possíveis

2 a 5 de dezembro de 2014 em Cuiabá e Chapada dos Guimarães-MT

Cidade dos Outros

A vida é um jogo que deve ser vencido a qualquer custo, mas o que se pretende ganhar?

Primeira Pele

O espetáculo traça o signo desta companhia que busca o aprimoramento e a intersecção das linguagens artísticas em seus espetáculos

Criadouro

O espetáculo trata do tema contemporâneo do consumo e o quanto a ganância pode ser fatal

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

CRIAME estreia no Metade Cheio

UMA PARCERIA DE SUCESSO


Foto: Fred Gustavos

Cia Pessoal de Teatro se uniu ao in-Próprio Coletivo para criar uma montagem inspirado no texto As Criadas do dramaturgo francês Jean Genet. O texto já havia sido adaptado por Juliana Capilé e foi montado em Ouro Preto e Cuiabá, com sucesso. Desta vez o texto sofreu alterações e foi novamente adaptado para uma dramaturgia imagética, sem o recurso do diálogo. "O tempo todo o texto pautou o que fazíamos em cena, mas optamos por não usá-lo em cena", diz Juliana Capilé (Cia. Pessoal de Teatro). 


“SOLANGE – Esse é nosso jogo, minha irmã. Nós odiamos a Senhora.
CLARA – Sim, odiamos.
SOLANGE – E precisamos despejar esse ódio senão ele nos mata.
CLARA – Por isso precisamos matá-la!
SOLANGE – Sim, matá-la antes que ela nos mate com seu perfume e sua boa educação de moça bem criada.”


 Com direção cênica coletiva, os grupos ensaiaram no espaço cultural Metade Cheio, onde também será a estreia do novo trabalho.


“CLARA – Como, Solange, matar como, com as mãos?
SOLANGE – Claro que não, não vamos tocar nela! Vamos colocar uma caixa de sonífero no chá de tília, ela bebe e dorme pra sempre. A gente fica triste, chama a ambulância, avisa a todos da caderneta de amigos, encomenda as flores que ela mais gosta, prepara tudo. No velório, serviremos os convidados, chá e biscoitos. E no enterro estaremos lá, rezando e chorando. Depois voltaremos pra cá e não dormiremos mais naquele porão imundo. Esperaremos a leitura do testamento, colocaremos as mãos no dinheiro e estaremos livres!”

Foto: Fred Gustavos
A  música cênica foi composta pelos músicos Estela Ceregatti e Jhon Stuart, O casal recebeu recentemente um prêmio de composição de trilha para espetáculos com a obra OraMortem, do in-Próprio Coletivo.  Eles compuseram uma trilha "às cegas", a partir do texto e algumas provocações escritas. "Compôr para espetáculo não é uma composição musical comum. A obra musical para espetáculo precisa ter uma lacuna que vai ser preenchida pela cena, mesclando com o que vai ser visto e Jhon e Estela fizeram um trabalho incrível", revela Tatiana Horevicht, da Cia. Pessoal de Teatro.

O cenário é a miniatura de uma casa, com todos os detalhes e foi confeccionada pelo grupo de teatro de animação e performance, Spectrolab composto pelos integrantes Raquel Mutzenberg, Milena Machado e Douglas Peron. 

“SOLANGE – Vai dar tudo certo, minha irmã. Não se preocupe. Logo tudo isso já terminou e você vai poder brincar com os vestidos dela à vontade. Nunca mais dormiremos naquele porão gelado e nem teremos que obedecer mais ninguém. Seremos só nós duas.

CLARA – E o que vai ser da gente, então? Viveremos como?
SOLANGE – Seremos rainhas! Contratarei empregadas que vão fazer tudo pra mim. Usaremos os vestidos para passear, dormiremos nessa cama fofa, usaremos maquiagem e seremos lindas e perfumadas!
CLARA – A gente não fica bem nesses vestidos...
SOLANGE –Não se preocupe com isso agora, Clara. Escuta, já planejei tudo. Nada vai dar errado.”
O figurino é do Studio Einstein Hawking e o vídeo foi gravado e editado pelo Pither Lopes a partir de idéias do grupo.
Foto: Fred Gustavos



“SENHORA - Eu gostaria de trocar de vida com você, Clara.
CLARA – Que é isso, Senhora! O que está dizendo?
SENHORA – Não gostaria? Não seria divertido? Eu a criada e você a senhora!
CLARA – Não seria possível isso, Senhora.
SENHORA – E por que não?
CLARA – Por que a Senhora é a patroa, e assim que deve ser.”

O espetáculo tem o patrocínio do Banco da Amazônia S.A. e conta com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura, através do setor da Economia Criativa, e a Secretaria Municipal de Cultura,Esporte e Lazer, através do Conselho de Cultura.



IMPRENSA:

CRIAME é uma parceria entre a Cia. Pessoal de Teatro e o in-Próprio Coletivo
Direção: Cia Pessoal de Teatro e In-Próprio Coletivo
Dramaturgia: Juliana Capilé;
Atuação: Daniela Leite, Juliana Capilé e Tatiana Horevicht;
Iluminação: Karina Figueredo;
Música Cênica: Estela Ceregatti e John Stuart
Cenário: Spectrolab
Figurino: Einstein Halking
Costureira: Marlene Martins
Web designer e fotografia: Fred Gustavos;
Vídeo: Pither Lopes

O espetáculo CRIAME é uma coprodução entre a Cia. Pessoal de Teatro e o InPróprio Coletivo. Com dramaturgia própria, a montagem contemporânea tem como inspiração a obra As Criadas do francês Jean Genet, cujo mote norteador é a discussão sobre a luta de classe, a massificação capitalística na sociedade e o simulacro da vida contemporânea. Com patrocínio do Banco da Amazônia S.A., a peça traz a contribuição de grupos e artistas de Mato Grosso que juntos criaram uma obra que dialoga com a dança, a música e o audiovisual.

SINOPSE:
CRIAME é a história das criadas Clara e Solange, que planejam dia após dia em seu teatro particular, a morte de sua patroa, a Senhora. Um dia decidem transformar o teatro em realidade. Ora servas, ora senhoras, as personagens se confundem em um jogo de poder e submissão, amor e ódio, vida real ou simulacro. Presas em sua condição, elas repetem o comportamento que foram criadas para executar, reafirmando cada vez mais a posição que exercem. “Somos criadas para sermos aquilo que somos”. Era o ensaio de um crime ou a realização de um sonho que, se acontecer, deixa de existir?



Cia. Pessoal de Teatro tem o apoio do edital de Manutenção de Grupo 2017/2018 da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Conselho Municipal de Cultura)

quinta-feira, 3 de maio de 2018